San Diegirls

O Blog Mágico de San Diego

Blog

Katniss no halloween

Posted by San Diegirls on November 1, 2010 at 10:24 AM Comments comments (0)



Nesse halloween, a atriz Jodelle Ferland (Bree em A Saga Crepúsculo: Eclipse) resolveu se fantasiar de uma de suas personagens favoritas: Katniss Everdeen. Levando em conta que a atriz está sendo considerada para o papel, é interessante para nós fãs vermos como ela fica, ainda que seja só em uma fantasia feita em casa!




A atriz esclareceu em seu twitter que a fantasia era só por diversão, e que não é para dizer "vejam como eu ficaria legal nesse papel". O que vocês acham, ela ficou parecida com a Kat?



Eu (Ana Carla) achei que ela ficou bem!

Mockingjay

Posted by San Diegirls on September 8, 2010 at 11:10 PM Comments comments (0)



Título: Mockingjay

(Hunger Games #3. OU SEJA, SPOILER PARA QUEM NÃO LEU OS DOIS PRIMEIROS)

Autor(a): Suzanne Collins

Editora: Scholastic

Número de páginas: 400


Depois de escapar da arena com vida (pela segunda vez), Katniss é levada para o Distrito 13, que todos pensavam ter sido destruído durante a primeira guerra contra a Capital. Lá, ela tem que decidir se será ou não o Mockingjay, o símbolo da revolução, que incentiva e leva esperança aos rebeldes de diversos distritos. E Peeta ainda está sob o domínio da Capital, talvez preso, sendo torturado, ou talvez já tenha sido executado. Nesse meio tempo, a guerra já começou, e todos têm que decidir de que lado estão.


Gostaria de dar um milhão de estrelas pra série, mas você entende o sentimento pela frase dessa imagem.


 

 

Ah, Mockingjay. Como esperamos por você. A contagem regressiva, as noites passadas discutindo possíveis acontecimentos e outras teorias, os surtos com toda e qualquer notícia que saía, as ameaças à integridade física da Suzanne Collins caso ela matasse certos personagens neste livro. Tudo que é normal enquanto se espera o final de uma série perfeita. Bons tempos.

 

E o livro final não decepcionou. Apesar de ter uma guerra acontecendo, Katniss não perdeu sua personalidade, continuando sensível às mortes, tanto de rebeldes quanto de aliados da Capital, mas ainda é forte o bastante para fazer o que é preciso, e continua impulsiva. Gale passa a ter uma importância maior, assim como Prim e a Sra Everdeen.

 

O ritmo desse livro é ainda mais rápido que os dois primeiros, já que a revolução está acontecendo em praticamente todos os distritos, sendo liderada pelo 13. Sempre que pensamos que não pode acontecer mais nada, acontece. Suzanne já provou antes que não tem medo de sacrificar ninguém pelo bem da história, e com seu histórico familiar (seu pai, tio e avô participaram de guerras), temos um retrato realista de uma batalha, inclusive com as implicações políticas e econômicas, ainda que de leve.

 

As imagens evocadas pela narrativa são impressionantes, lindas, trágicas, realistas, sonhos. É um bom final para uma série ótima. Sim, Hunger Games deixará saudades; mas o fato de que ao terminar Mockingjay vem uma vontade enorme de reler Jogos Vorazes significa que não esqueceremos a história de Katniss tão cedo.


Sem falar que ainda teremos a publicação aqui no Brasil, então sempre haverá um motivo para revisitar os livros! Todo mundo do olho na Rocco pra saber quando lançarão o próximo...


Resenha por Ana Carla

Catching Fire

Posted by San Diegirls on September 6, 2010 at 11:11 AM Comments comments (0)



Título: Catching Fire

(Hunger Games #2 – ou seja, SPOILERS SE VOCÊ NÃO LEU O PRIMEIRO)

Autor(a): SuzanneCollins

Editora: Scholastic

Número de páginas: 391


Depois de tudo que aconteceu em Jogos Vorazes, Katniss gostaria que o mundo esquecesse dela. Seu ato desesperado com as frutas venenosas foi visto como um desafio à autoridade da Capital, e antes mesmo de começar o tour dos ganhadores (a primeira vez na história em que dois tributos sobreviveram), o presidente Snow faz uma visita a ela, para alertá-la do perigo de continuar com suas “atitudes rebeldes”. Segundo ele, ela deu início a um descontentamento em alguns distritos, que deve ser eliminado por Katniss durante o tour. Quando o Quarter Quell é anunciado, tudo fica ainda mais complicado. Será que nem como vencedora dos Jogos Katniss vai conseguir viver em paz?




 

Os Jogos ficaram para trás, e Katniss conseguiu sobreviver. Não somente ela, mas Peeta também está de volta ao Distrito 12. A família dela não precisa mais se preocupar com comida, já que como vencedora dos Jogos, Katniss agora faz parte da elite do Distrito 12, mora em uma casa melhor, e não precisa mais caçar para sobreviver. Final feliz, certo? Errado. Nunca subestimem Suzanne Collins.

 

Eles sobreviveram, sim, mas contra a vontade dos Gamemakers e do presidente. Isso é um desafio à autoridade da Capital, e eles devem ser punidos. Por isso, Katniss deve fazer o possível e o impossível para provar que agiu em um momento de desespero, por amar Peeta, e com isso diminuir os rumores de revolta nos distritos.

 

O segundo livro da série continua algum tempo depois do fim do primeiro, e segue no mesmo ritmo. Exceto por alguns momentos no começo, não há cenas paradas ou sem tensão. Talvez seja ainda mais tenso do que o primeiro, com esses rumores de revolução. E Suzanne continua fazendo você gostar de um personagem, para depois sofrer com o que acontece a ele.

 

Há alguns personagens novos bem interessantes, como alguns ganhadores de Jogos passados, que nos fazem perceber que ninguém sai dos Jogos sem mudanças. Haymitch não é exceção, mas mais provavelmente a regra; todos precisam de uma maneira de lidar com o que aconteceu na arena.

 

Com um final um tanto cruel para os leitores, Catching Fire deixa você desejando mais. Ainda bem que Mockingjay já foi lançado, ainda que só lá fora!


Infelizmente, ainda não há previsão de quando Catching Fire será lançado aqui no Brasil.


Resenha por Ana Carla

Novidades sobre o filme de Jogos Vorazes

Posted by San Diegirls on September 2, 2010 at 7:32 PM Comments comments (0)

O The Daily Beast publicou uma matérias sobre o filme de Jogos Vorazes, sobre a dificuldade em adaptar a história sem transformar o filme em algo violento demais e ainda assim manter o clima de suspense do livro. E segundo eles, o roteiro já está pronto e estão em busca de um diretor... Quem sabe esse filme sai antes do que esperávamos?



A dificuldade de traduzir o livro para filme é aparente; Jacobson e a Lionsgate dizem que o filme será feito para o público-alvo dos livros, de 12 a 18 anos, e por isso eles querem uma classificação PG-13 (a classificação “12 anos” aqui do Brasil). O diretor editorial da Scholastic Press, David Levithan, relembrou sua hesitação com a premissa. “Oooh, isso soa brutal,” ele lembra ter pensado. “Eu admito que muitos de nós, baseados somente no sumário, achamos que isso seria um grande desafio. Não somente para nós, mas para Suzanne.”


“E então o primeiro livro chegou e todos nós ficamos impressionados.” Collins, que atualmente está numa turnê de 12 cidades para promover Mockingjay, ainda se surpreende com a popularidade que a série ganhou. Centenas de fãs compareceram a uma festa de lançamento à meia noite na Books of Wonder de Nova York, e uma Suzanne surpresa disse à multidão: “Eu não sabia que haviam tantos de vocês até que eu saí.” Antes de escrever Jogos Vorazes, ela escreveu a série infantil Gregor, o Guerreiro da Superfície e trabalhou como roteirista de programas infantis.


A mãe de dois filhos de Connecticut diz que estava mudando de canal entre reality shows e matérias sobre o Iraque três anos atrás quando teve a ideia para Jogos Vorazes. “Em um canal jovens competiam por dinheiro. No outro, jovens lutavam por suas vidas. Eu estava cansada, e as ideias se misturaram,” ela disse ao USA Today em entrevista setembro passado. Combinado com um dos mitos gregos sobre Teseu – similarmente sobre um grupo de jovens enviados a um labirinto para serem devorados por um Minotauro – Collins formou o quadro para sua história pós-apocalíptica.


Em Jogos Vorazes, Katniss e outros 23 competidores entre 12 e 18 anos são presos em uma arena gigantesca até que somente um deles sobreviva. Durante os jogos, ela luta com a ideia de tentar viver quando isso significa que os outros competidores devem morrer. E enquanto Katniss consegue desafiar a Capital de pequenas maneiras de dentro da arena, o livro não foge do inevitável, tampouco parece saborear a descrição de mortes por facadas, insetos, ou algo pior. O teste para os produtores do filme será manter a mesma linha. “A ética do livro é clara, e acharemos um diretor que consiga lidar com o material da maneira correta,” Jacobson disse. “Suzanne estava justamente preocupada que isso teria o potencial de se tornar algo que ela odiaria, glorificando a violência que o livro pretende criticar.”


“Esse foi nosso argumento para Suzanne, na verdade – você não quer que o filme se torne uma versão própria dos Jogos,” ela continuou.


Collins escreveu um rascunho do roteiro, e Billy Ray, que escreveu Intrigas de Estado e adaptará o drama de ação da Fox 24 para um filme, revisou e dilapidou o roteiro. Os produtores estão procurando um diretor.


Presidente de produção da Lionsgate, Alli Shearmur reuniu os chefões do estúdio ao telefone quando chegou o momento de convencer Jacobson de que eles estavam em sincronia. “Isso nunca acontece num estúdio grande,” Jacobson falou. “Nós todos éramos somente fãs, muito investidos emocionalmente.”


Jogos Vorazes encontrou fãs mais velhos além dos animados produtores, que é uma boa notícia para uma possível franquia cinematográfica; Levithan estima, baseado em comentários e na página oficial da série no Facebook, que metade dos leitores é adulta. O apelo popular do livro, ele explica, pode ser atribuído a qualquer um de vários de seus temas. “Ele toca na cultura do medo em que vivemos, definitivamente... Mas também é acessível de outras maneiras. Tem ação, uma triângulo amoroso, uma personagem principal forte, ficção científica...”


Todos os envolvidos concordam que o filme deve agradar os mais velhos, mas “absolutamente deve ser PG-13,” Jacobson disse. “Seria errado fazer a versão R(“18 anos”, aqui no Brasil) dele.”


“As situações são tão intensas e assustadoras; será somente uma questão de criar suspense,” ela afirmou. “O poder de um filme pode ser tanto sobre o que você não vê quanto sobre o que você vê.”


Fonte: The Daily Beast

Traduzido por Ana Carla

 

Suzanne Collins sobre os livros que ama

Posted by San Diegirls on August 13, 2010 at 10:58 AM Comments comments (0)

Foto: Todd Plitt


Bella quem? Esses dias só se fala em Katniss Everdeen, a estrela de 16 anos da imensamente popular série pós-apocalíptica de Suzanne Collins. Quando o primeiro livro, Jogos Vorazes, explodiu na cena literária em setembro de 2008, tornou-se um best-seller imediatamente. Stephenie Meyer escreveu em seu blog, “Eu estava tão obcecada por esse livro que tive que levá-lo comigo para um jantar e escondê-lo embaixo da mesa para que eu não precisasse parar de ler,” e Stephen King o resenhou para a EW, chamando-o de “um livro chocante e violento que gera suspense quase constante.”


Catching Fire, o segundo livro da trilogia, foi publicado com similar comoção em setembro de 2009, levando a Lionsgate a adquirir os direitos cinematográficos da série –apesar de ainda não se saber quem fará o papel de Katniss. Agora a Scholastic encomendou 1,2 milhões de cópias para a primeira edição de Mockingjay, que será lançado dia 24 de agosto. Então, parecia uma boa hora para fazermos nossa quiz literária com Collins.

 

Entertainment Weekly: Qual clássico você nunca leu – mas fingiu ter lido?

Suzanne Collins: Eu meio que li O Prefeito de Casterbridge, de Thomas Hardy. Deveria ter lido na escola, mas eu não consegui entrar no clima do livro. Cerca de sete anos depois eu redescobri Hardy, e consumi quatro de seus livros de uma vez. Katniss Everdeen deve seu sobrenome a Bathsheba Everdene, personagem principal de Longe da Multidão Estulta. As duas são muito diferentes, mas ambas lutam para conhecer seus corações.


Qual livro você usaria para matar uma mosca?

Eu tento capturar moscas em xícaras e colocá-las para fora. Depois de escrever Gregor... bem, uma vez que você começa a dar nomes para baratas, você deixa de ser ameaçadora.


Diga-nos quais eram seus livros preferidos na infância.

Sempre amei mitologia, então os primeiros da lista tem que ser Myths and Enchantment Tales, de Margaret Evans Price, que pertenceu à minha mãe quando ela era jovem, e D'Aulaires' Book of Greek Myths. Na ficção, destacam-se Uma Dobra no Tempo, de Madeleine L'Engle; Tudo Depende de Como Você Vê as Coisas, de Norton Juster e Jules Feiffer; e Boris, do autor holandês Jaap ter Haar, que eu ainda acho que é uma das melhores histórias de guerra escritas para crianças. Infelizmente, parece que não é mais publicada neste país.


E quais livros você voltou e releu de novo e de novo?

É embaraçoso admitir quantas vezes eu reli os seguintes: Laços Humanos – Uma Árvore Cresce no Brooklyn, 1984, O Senhor das Moscas, O Coração É Um Caçador Solitário, Germinal, We Have Always Lived in the Castle, e Paris é uma Festa.


Tem algum livro que fez você morrer de medo?

Zona Quente, de Richard Preston. Acabei de ler há algumas semanas. Ainda estou me recuperando.


Tem algum livro que você sempre quis, mas nunca leu?

O Idiota. Eu li várias adaptações teatrais quando trabalhei para a Classic Stage Company, então tenho uma ideia geral da história, mas é uma experiência diferente. E eu amo Dostoyevsky, então tenho vontade de ler desde essa época.


O que você quer ler a seguir?

Ok, bom, agora tem que ser O Idiota. Próximo livro que vou comprar.

 

Fonte: Entertainment Weekly



Categories