San Diegirls

O Blog Mágico de San Diego

Blog

A Primeira Regra do Mago

Posted by San Diegirls on April 12, 2010 at 8:40 PM Comments comments (1)

 

Título: A Primeira Regra do Mago (Wizard's First Rule)

Autor(a): Terry Goodkind

Editora: Rocco

Nº de páginas: 624

Richard Cypher é um guarda florestal em Westland, uma terra que fica fora dos limites mágicos do mundo, separado deste pela Fronteira. Tudo segue normalmente na vida do guarda, até que uma bela moça aparece em sua floresta, sendo perseguida por homens suspeitos. Richard vai em seu socorro, acreditando tratar-se apenas de mais uma donzela indefesa. Mal sabe Richard que aquela é Kahlan Amnell, uma confessora que está em busca do grande mago que irá ajudá-la a encontrar o Seeker, aquele que busca a verdade e que irá livrar o mundo das mãos do perverso Darken Rahl, o governante do mundo mágico que pretende dominar o mundo e subjugar a todos. Mal sabe Richard também que aquele encontro mudará sua vida para sempre – e a de todo o mundo.


5 estrelas

A Primeira Regra do Mago é simplesmente muito épico (em homenagem a Bárbara)! Eu diria que o livro junta tudo que há de bom na trilogia O Senhor dos Anéis, Harry Potter e Star Wars. Sinceramente, depois disso você ainda tem dúvidas de que o livro é sensacional? Ok, então vou te dar mais alguns motivos para ficar desesperado querendo ler o livro.

 

Primeiro, deixa eu te explicar o enredo de forma simples e direta: existe um ditador malvadão e todo-poderoso, que quer dominar o mundo. Ele quer fazer isso porque ele acha que tá tudo errado, e do jeito dele vai tudo ficar certo. Ele é descomunalmente poderoso por causa de uma certa magia antiga aí, e só existe uma pessoa que pode derrotá-lo: o Seeker. Seekers são “buscadores da verdade”, e eles são todos-poderosos e podem usar magia e etc, desde que propriamente treinado por um mago. Richard é o Seeker dessa geração, mas veja bem, ele é só um guarda-florestal que nem sequer vive do lado mágico da Fronteira. Aí um mago chega para ele e fala que ele é o Seeker e que ele vai ter que derrotar o homem mais poderoso e malvado do mundo. E tem uma mulher envolvida, mulher essa que é mais toda-poderosa que ele e a qual ele também não pode nem tocar. No livro, vamos acompanhar a história de Richard Cypher, como ele vira um Seeker, como ele muda, e o principal: como ele vira um herói. Não é fácil, como Frodo já demonstrou uma vez.

 

A história é muito bem construída. Como toda história épica que se passa em um mundo alternativo, se o autor não for muito bom no que faz, vai sair uma grande merda. Goodkind tem o dom, isso eu posso afirmar. Você é transportado para o mundo que ele cria, você entende a mágica daquele mundo, entende como as coisas funcionam. Você entende porque há guerras, e como elas foram fomentadas, porque o autor te explica isso. Não é mais uma história épica de vilão-que-quer-dominar-o-mundo versus mocinho-que-vai-salvar-todo-mundo-e-ficar-com-a-mocinha.

 

Os personagens são muito bem construídos. Sabe quando você lê um livro e, por mais que a história seja interessante, você não consegue parar de xingar o(s) personagem(ns)? Pois é, isso não acontece em APRDM. As atitudes dos personagens, mesmo as movidas por emoção, fazem sentido. Você entende a perspectiva do personagem. Cara, você entende o vilão! Quando foi a última vez que você leu um livro em que você entendia o vilão e entendia porque as pessoas o seguiam? Sabe, Darken Rahl me lembra muito Hitler, por causa da inteligência, dos discursos, do modo de manipular as coisas, de lidar com o povo. Richard, Kahlan e Zedd (e todos os outros) também são personagens fortes, humanos, quase reais demais para um livro de fantasia.

 

Há um romance proibido. Hahaha, ah, por favor, você sabe que isso conta, e muito! Sem me alongar muito, para manter o suspense, Richard e Kahlan não podem namorar... por diversas razões. Razão nº 1: eles não podem se tocar (se tocar mesmo, não encostar um no outro). Como confessora, ao tocar um homem, Kahlan faz dele seu escravo, até que ele morra. Razão nº2: Kahlan é a confessora do Seeker (Richard), então é meio que proibido que eles tenham alguma coisa. E aí tem várias outras coisas (profecias, bruxas más, outras pessoas) que os impedem de ficar juntos. Mas eu acho que nunca li um romance proibido tão lindo como o deles. Não é uma coisa Bela & Edward, ou Romeu & Julieta, porque é muito mais forte. Lendo o livro, seu coração fica do tamanho de um grão de mostarda de tanta dor que você sente por eles, porque é um amor tão lindo e puro, e tão, mas tão forte (e que é mostrado de formas tão sutis que você nem percebe que eles se amam, até que você percebe que eles se amam) e que não pode ser consumado. Eu chorei, ok? Me deixa.

 

Além disso, se você gosta de livros de fantasia cheios de detalhes sobre o mundo alternativo em que ele se passa (mapas, raças diferentes, histórias de eras antigas), do tipo que te tira completamente da sua realidade medíocre e te leva para uma dimensão totalmente fantástica e perigosa, A Primeira Regra do Mago é a pedida certa.

 

Sword of Truth (Espada da Verdade, numa tradução livre) é uma série composta por 11 livros, mais um pre-quel. Terry anunciou recentemente que está escrevendo mais um livro para a série, ainda sem título e sem previsão para lançamento. Em 2008 foi lançado pelo canal norte-americando ABC o seriado Legend of the Seeker, baseado na série Sword of Truth. O seriado está atualmente em sua segunda temporada. Confira o trailer.

 

You need Adobe Flash Player to view this content.

Resenha por Isadora C.


Categories