San Diegirls

O Blog Mágico de San Diego

Blog

A Pir?mide Vermelha

Posted by San Diegirls on January 12, 2011 at 1:01 PM Comments comments (1)

Hoje inauguramos algo aqui no San Diegirls: é o nosso primeiro guest post! Por que isso agora? Bom, por motivos de força maior, ainda não pude ler A Pirâmide Vermelha, mas conheço gente que leu... Então era hora de explorar pedir ajuda aos amigos! Confiram abaixo a resenha:




Título: A Pirâmide Vermelha

Autor(a): Rick Riordan

Editora: Intrínseca

Número de páginas: 448


Desde a morte da mãe, seis anos atrás, Carter Kane viaja o mundo com o pai, o egiptólogo Dr. Julius Kane. Ele não frequenta a escola e seus pertences cabem em uma única mala. Enquanto isso, Sadie, sua irmã mais nova, é criada pelos avós em Londres. Ela tem tudo o que Carter queria: casa, amigos e uma vida “normal”. E ele, o que ela mais deseja: conviver com o pai. Depois de tanto tempo separados, os irmãos não tinham praticamente mais nada em comum.


Até que na noite de Natal, em uma visita ao British Museum, o pai faz uma estranha promessa: tudo voltará a ser como antes. Mas seu plano dá errado, e os irmãos acabam assistindo ao momento em que um personagem misterioso desaparece com o egiptólogo e provoca uma explosão magnífica.


Para salvar o pai, os irmãos embarcam em uma perigosa jornada, na qual descobrem que os deuses do Egito Antigo foram despertados e algo terrível está para acontecer – e que tudo isso está relacionado com uma ligação ancestral entre os Kane e a Casa da Vida, ordem secreta que existe desde a época dos faraós.

 


 

Quem já está familiarizado com os livros de Rick Riordan (A série Percy Jackson e os Olimpianos; O Labirinto de Ossos) não vai estranhar A Pirâmide Vermelha. Pelo contrario, o livro é só mais uma prova que Rick tem muito a nos mostrar e emocionar tendo como base a Mitologia.

 

Uma das coisas interessantes do livro é a narração, ora por Carter, ora por Sadie. No começo do livro um não sabe nada sobre o outro, mas no decorrer da estória isso vai mudando, e acredite, muda mesmo.

 

Aguarde grandes sustos e surpresas, desde uma gata de estimação que se transforma em uma deusa-guardiã, a um Crocodilo de argila gigante que é ótimo como amigo, mas não como inimigo, e um macaco engraçadíssimo que adora basquete e sempre ganha de Carter.

 

Prepare-se para conhecer o Duat (um universo para almas) e, é claro, para ver que nem tudo é o que parece.

 

E também as escolhas que podem salvar o mundo ou destruí-lo... Carter deixará o Deus Hórus se apossar de seu corpo? E Sadie, deixará Ísis se apossar do seu? Vale a pena deixar de ser você mesmo para salvar a família e o mundo?

 

E não pense que chegando ao final do livro tudo acaba: uma missão será dada ao leitor, e para sua própria segurança é melhor seguir.

 


A Batalha do Labirinto + Resultado da promo??o

Posted by San Diegirls on March 1, 2010 at 12:00 PM Comments comments (6)

Título: A Batalha do Labirinto (Percy Jackson & Os Olimpianos, vol. IV)

Autor(a): Rick Riordan

Editora: Intrínseca

Nº de páginas: 366


“Descerás nas escuridão do labirinto infinito,

o morto, o traidor e o perdido reerguidos,

ascenderás ou cairás pelas mãos do rei espectral,

da criança de Atena, a defesa final,

a destruição virá quando o último suspiro do herói acontecer...”


Essa é a profecia que serve de enredo para os nossos heróis no quarto volume da série Percy Jackson & Os Olimpianos.

Os titãs estão cada vez mais fortes, sempre enganando os semi-deuses de alguma forma e conseguindo abrir caminho para o Acampamento. E para manter o seu lugar favorito em segurança e evitar uma guerra, Percy e seus amigos terão que fazer uma visitinha ao Labirinto de Dédalo – um enorme labirinto subterrâneo cheio de armadilhas mortais, onde cada escolha é um risco de vida.



 


 

Rick Riordan é meu novo herói. PJ&O se tornou uma de minhas séries favoritas, e como eu já disse anteriormente, a cada livro as coisas só ficam mais interessantes!


Em A Batalha do Labirinto, Percy vai começar o 1º ano na escola do novo namorado da mãe, Paul Blofis. Tudo parece ir relativamente bem: escola nova, Sally está feliz, Annabeth vem visitá-lo (um encontro no cinema, mas shh!, ele tem vergonha quando dizemos isso). Mas claro que nada pode permanecer bem para o nosso semi-deus preferido. Alguns problemas com vampiras infernais na aula inaugural, seguido de um encontro com a muito confusa Rachel Elizabeth Dare (lembra dela?), seguido de outro encontro com uma Annabeth possessa de ciúmes, acabam com a paz de Percy e ele precisa voltar às pressas para o acampamento.


No Acampamento, tudo anda muito estranho. Annabeth e Clarisse agora são amigas, Clarisse está apaixonada, Grover está namorando e todos estão sentindo o perigo eminente. Com uma informação conseguida por Clarisse em sua última missão, descobre-se que o exército de Cronos está usando o Labirinto de Dédalo para mover suas tropas. Após uma visita ao oráculo, Annabeth escolhe seus três melhores amigos, Percy, Grover e, acredite, Tyson, para ir com ela ao labirinto e descobrir quais os planos do Senhor do Tempo.


Em meio a muitas DR's (discussão de relação – porque sim, você desconfiou certo, Percy e Annabeth tem uma quedinha um pelo outro, mas acho que a dislexia os impede de fazer algo a respeito), encontros com deuses menores e filhos de titãs e várias experiências de quase-morte, ainda acompanharemos a busca desesperada de Grover, que está para perder sua licença de buscador, por Pã.


Eu diria que em A Batalha do Labirinto, nós vemos o amadurecimento dos personagens. Agora eles são adolescentes, e o destino do mundo está em suas mãos. Como se isso já não fosse o bastante, eles ainda tem que lidar com sentimentos confusos (digamos que o ciúme de Annabeth não seja totalmente infundado), o que torna a leitura mais interessante ainda.


Resenha por Isadora C.

*Rufam os tambores*

*Solo de guitarra*

*Luzes!*

Olá, queridos leitores, eu sou Isadora Cal e venho hoje divulgar para vocês o...
RESULTADO DA PROMOÇÃO GREGA SUPER PODEROSA DOS DEUSES

E quem levou o Percy foi...

*Rufam os tambores*
Andressa Rufino


Pff, não, Percy, não você! O seu livro, cabeça de alga!

Er... calma, Percy. Para quê esse tridente? Era só brincadeirinha.

O sorteio foi feito pelo site Random.org e o número de sorte foi 36. Anota aí, Andressa, quem sabe esse número não te traz sorte de uma outra vez também?
Como prometido, a ganhadora leva um kit com uma blusa do Acampamento Meio-sangue + 1 cópia do livro A Batalha do Labirinto + 1 marca-página. Entraremos em contato com Andressa e caso ela não nos responda dentro de 3 dias, o sorteio será realizado de novo.
MUITO OBRIGADO a todos que participaram e nos ajudaram a divulgar o site. Nosso objetivo não é obter fama, e sim incentivar o hábito da leitura e indicar bons livros (ou afastá-los dos ruins). Aos que não ganharam dessa vez, não se preocupem. Se Cronos não tiver destruído o Olimpo e dominado o mundo daqui pra lá, faremos outras promoções (a próxima, por sinal, é muito divertida e criativa!).
San Diegirls

A Maldi??o do Tit?

Posted by San Diegirls on February 19, 2010 at 12:44 PM Comments comments (0)



Título: A Maldição do Titã (Percy Jackson & os Olimpianos, vol. III)

Autor(a): Rick Riordan

Editora: Intrínseca

Nº de páginas: 316


A oeste, cinco buscarão a deusa acorrentada,

Um se perderá na terra ressecada,

A desgraça do Olimpo aponta a trilha,

Campistas e Caçadoras, cada um, brilha,

A maldição do titã um deve sustentar,

E, pela mão do pai, um irá expirar.


E é com essa profecia que A Maldição do Titã começa. Desta vez, Percy e seus amigos são encarregados de irem buscar dois recém-achados semi-deuses em uma escola. O que começa como uma simples missão acaba se tornando um caos, quando um dos professores vira um monstro e tenta matar os semi-deuses. Enquanto tentam se salvar e salvar os novatos que nada sabem sobre sua verdadeira condição, eles encontram Ártemis e suas caçadoras. Ártemis e Annabeth são seqüestradas e Percy descobre que Cronos está agindo outra vez, e dessa vez tem a seu favor um dos monstros gregos mais poderosos da história. No terceiro volume da série, além das confusões habituais e das situações em que tem que salvar o mundo, Percy vai ter que salvar sua melhor amiga, resgatar a deusa da caça e ainda tentar frustrar, mais uma vez, os planos de Cronos.



 


 

AVISO – CONTÉM SPOILERS! Não faça a bobagem de ler esta resenha se você ainda não leu os dois livros anteriores da série.


 

Como já dito no post anterior, a cada livro da série a história fica mais emocionante. Agora Percy está com 14 anos, já se acostumou com a idéia de ser metade deus, metade humano, sabe do peso que está sobre ele por ser filho de um dos três grandes... mas o que Percy não sabe é que Cronos sabe muito mais sobre ele. E sobre os outros semi-deuses. No fim de O Mar de Monstros, Thalia “volta dos mortos”, nada mais do que uma jogada de Cronos para controlar a profecia – aquela que diz que um dos filhos dos três grandes, ao atingir a idade de 16 anos, vai destruir o Olimpo, bla bla bla...


 

A turma agora está bem maior. Temos Thalia, a filha de Zeus, que ainda não completou 16 anos; os imãos Di Angelo, Nico e Bianca; Zoë Nightshade, uma das caçadores de Ártemis, além do próprio Percy e seu guardião Grover. Todos eles vão em busca de Annabeth e Ártemis e enfrentam mais monstros do que nos outros anos. Conhecemos um pouco mais da história de Thalia, sabemos mais sobre o que aconteceu com Luke (e como ele e Thalia ficaram amigos) e, o que para mim foi o mais divertido: conhecemos todos os 12 deuses de Olimpo.


 

O final é muito emocionante e cheio de surpresas. Deixa muita coisa em aberto para o próximo livro. Mal posso esperar por A Batalha do Labirinto!


E não se esqueça de nossa promoção :lol:


Resenha por Isadora C.


O Mar de Monstros

Posted by San Diegirls on February 17, 2010 at 5:51 PM Comments comments (3)



Título: Percy Jackson e os Olimpianos – Mar de Monstros(livro 2)

Autor(a): Rick Riordan

Editora: Intrínseca

Número de páginas: 286



O ano de Percy Jackson foi surpreendentemente calmo. Nenhum monstro que colocasse os pés no campus de sua escola, nenhum acidente esquisito, nenhuma briga em sala de aula. Mas quando um inocente jogo de queimado entre ele e seus colegas torna-se uma disputa mortal contra uma tenebrosa gangue de gigantes canibais, as coisas ficam, digamos, feias. E a inesperada chegada de sua amiga Annabeth traz outras más notícias: as fronteiras mágicas que protegem o Acampamento foram envenenadas por um inimigo misterioso e, a menos que um antídoto seja encontrado, o único porto seguro dos semideuses será destruído.




Ok, recapitulando: Percy descobriu ser filho de um deus do Olimpo (literalmente), e por isso tem poderes que ainda não sabe controlar direito. Também por causa disso, tem uma tendência de atrair monstros pra onde quer que esteja. O que pode ser inconveniente no colégio, ainda mais combinado com seu déficit de atenção e dislexia, comum a todos os semideuses. Considerando tudo, digamos que se fosse eu, teria optado por ser educado em casa a esse ponto.


Dessa vez, Percy está conseguindo se manter numa escola por mais tempo que o normal – e sem lutas. E ele ainda conseguiu um novo melhor amigo, já que Grover foi em busca do deus Pã. Tudo parece bem, até ele quase ser morto por canibais e descobrir que seu melhor amigo Tyson não é exatamentehumano. É aí que ele percebe que sim, vai ser mais um ano como os outros. E que os monstros não vão dar folga aos meio-sangues – na verdade, Kronos continua seu plano, e o Acampamento está desprotegido.


O Mar de Monstros consegue ser mais interessante do que o primeiro livro, e mantém o ritmo rápido da série, além de apresentar mais elementos da mitologia grega. Percy, em sua jornada para salvar o Acampamento, passa por várias ilhas com personagens já bem conhecidos de quem gosta da mitologia, a maioria nem um pouco amigável para com o nosso herói. Pra variar.


Cada livro da série é melhor que o anterior, e Rick consegue manter os leitores presos à história do começo ao fim do livro; o que mais se pode pedir de um bom livro?


Resenha por Ana Carla

 


Percy Jackson e o Ladr?o de Raios

Posted by San Diegirls on February 15, 2010 at 11:31 PM Comments comments (0)

 

 

Título: O Ladrão de Raios (Percy Jackson e os Olimpianos vol. I)

Autor(a): Rick Riordan

Editora: Intrínseca

Nº de páginas: 385

 

 

 

Percy Jackson mal acredita que está terminando a sétima série inteira sem ser expulso. Para ele, isso seria, tipo, um record. Percy foi expulso de diversas escolas muitas vezes, mais vezes do que você passou de páginas em um livro. Não que ele procure por problemas. Ou que ele seja burro. Mas os problemas simplesmente parecem ir ao seu encontro.


A última escola que parece aceitá-lo é a Academia Yancy. E aceitá-lo parcialmente. Por ser disléxico e ter déficit de atenção, Percy não é exatamente o aluno mais querido do corpo docente. Nem mesmo os alunos parecem gostar dele. Há apenas Grover, seu amigo deficiente, e Prof. Bunner, o professor de história de seu colégio.


Além disso, Percy tem que aguentar o namorado folgado e abusivo de sua mãe, o Gabe. Percy não entende como uma mulher tão boa como sua mãe consegue se envolver com Gabe, e o incomoda o modo como sua mãe é tratada.


Mas ele não sabe nem metade da história toda. Porque, aos 12 anos, Percy descobre que é um semideus, um herói. Isso mesmo, filho de deus grego ( e não o deus grego Edward) com uma humana, Percy possui, apesar de não conhecer, dons formidáveis, e precisa de sua coragem natural para enfrentar os perigos que vêm junto com sua carga genética.


Existem muitas comparações da série “Percy Jackson e os Olimpianos” à saga “Harry Potter”. Ambos arcaram com responsabilidades pesadas demais para sua idade. Harry não conheceu seus pais, ao passo que Percy foi criado com sua mãe. E apesar de Harry ter de lidar com o próprio Voldemort em seu primeiro ano de contato com a magia, Percy sai em uma verdadeira missão, envolvendo Fúrias, Medusa, batalhas contra deuses e uma viagem ao Submundo para resgatar sua mãe e o um objeto vital para a paz no Olimpo.


E por mais que a série Harry Potter tenha conquistador milhões de fãs das mais variadas faixas etárias, “Harry Potter e a Pedra Filosofal” não possui características literais que atraiam adultos, enquanto que em Percy Jackson o leitor mais velho encontra elementos que o entretém, apesar da pouca idade da personagem principal. Além disso, Percy Jackson e os Olimpianos revivem a cultura grega, base de todo o pensamento ocidental. O que meio que faz de Percy uma leitura obrigatória, né?

 


Resenha por Gabriela Gani


Categories