San Diegirls

O Blog Mágico de San Diego

Blog

O Pacto

Posted by San Diegirls on February 22, 2010 at 8:00 PM Comments comments (0)

Título: O Pacto - Uma História de Amor

Autor(a): Jodi Picoult

Editora: Planeta

Nº de páginas: 400


Os Gold e os Harte são vizinhos e melhores amigos. Melody e Gus se conheceram grávidas, e desde então não se separaram mais. Seus filhos, Emily e Chris, também cresceram juntos, então não foi surpresa nenhuma quando eles começaram a namorar. Eram duas famílias perfeitas, um vínculo de amizade muito forte e um grande amor adolescente. Até o dia em que Chris matou Emily.

Acompanhamos então, através de flashbacks e relatos dos personagens, o crescimento de Chris e Emily e o romance entre eles. Segundo o rapaz, tudo foi parte de um plano, um pacto de suicídio que o casal havia feito, mas que ele não conseguiu cumprir a última etapa – tirar a própria vida. Vários questionamentos surgem: Chris está dizendo a verdade sobre a morte de Emily? O que realmente aconteceu? Será que conhecemos, de fato, as pessoas que amamos e com quem convivemos por anos?


 

Jodi Picoult tem um dom. O dom do drama. Se você assistiu àquele filme com a Cameron Diaz, “Uma Prova de Amor”, você vai entender – o filme é baseado em um livro da Jodi. O Pacto é, como diz o subtítulo do livro, uma história de amor. Não se engane pelo mistério acerca da morte de Emily, ainda assim é uma história de amor muito linda!


 

Chris e Emily se conhecem, literalmente, desde que nasceram. Quando Emily nasceu, Chris tinha meses, e a mãe dele o levou para o hospital para conhecer a vizinha. Ele ficou com sono e foi colocado para dormir do lado da recém-nascida Emily. Ela bocejou, segurou na mãozinha do vizinho, e voltou a dormir. E assim foi durante o resto da vida deles. Emily e Chris eram melhores amigos, sempre cuidando um do outro, acobertando as mentiras um do outro; eles eram inseparáveis. Até que a adolescência chegou, e eles sentiram a necessidade de fazer algo mais além de correr loucamente pela floresta atrás da casa deles.


 

O livro já começa com a morte de Emily, e então surgem uns policiais e a investigação se volta para Chris. Ele fala do pacto. Ninguém acredita. Mas quem conhecia o casal, também não podia acreditar que ele tivesse matado o amor de sua vida. A partir daí, a história é contada entre flashbacks e o momento presente, enquanto Chris está sendo investigado. Os flashbacks nos mostram que, ao contrário do que os pais pensam, a vida de Emily e Chris não foi sempre perfeita. Enquanto Chris, através de suas memórias, vai contando sobre o seu relacionamento com Emily, os Harte e os Gold passam por uma crise , tanto em seus casamentos, como em sua amizade. Afinal, o filho dos Harte está sendo acusado de matar a filha dos Gold.


 

O livro traz três grandes tópicos:

 

  • O quão bem você conhece alguém?

Emily era uma garota modelo, muito amada e bem educada, sem nada de essencial que lhe faltasse. Tanto ela como Chris estavam sempre sob os cuidados dos pais. Os dois eram alunos modelo. O que levaria alguém assim a querer suicidar-se? O que levaria um jovem de boa índole a matar o objeto de sua paixão?

 

 

  • O amor tem limites?

No livro, temos vários casos de amor, e todos eles são abalados pela morte de Emily. O casamento de Melody e Michael Gold entra em crise, pois um acredita na inocência do vizinho que sempre foi visto como um segundo filho, e o outro acredita piamente na culpa do menino. Será que a morte de uma filha é o limite para o amor deles? E Gus e James, que sempre foram muito diferentes, e agora se vêem diante da difícil situação de ter um filho acusado de um crime – que, diga-se de passagem, nem eles tem certeza se ele é inocente ou não. E os vizinhos, antes melhores amigos, agora não sabem mais como lidar com a situação.

 

 

  • O que leva alguém a cometer suicídio?

Sabe toda aquela bobagem de auto-ajuda que você vê por aí quando lê algo sobre suicídio? Pois é, esqueça. Posso afirmar, com certeza, que a abordagem que o livro traz é muito mais real do que qualquer coisa que eu já tenha lido. E digo isso porque eu já estive no fundo do poço e pensei em suicídio.


 

Além de todo o romance e todo o drama, temos o julgamento, que lembra bastante aqueles seriados policiais/jurídicos norte-americanos (tipo Law & Order, Cold Case, etc) e deixa o livro mais interessante ainda.


Resenha por Isadora C.


Categories