San Diegirls

O Blog Mágico de San Diego

Blog

Anno Dracula

Posted by San Diegirls on May 4, 2010 at 9:33 PM Comments comments (0)


Título: Anno Dracula

Autor(a): Kim Newman

Editora: Aleph

Nº de páginas: 376

Conde Drácula não sucumbiu diante de Van Helsing e de seus destemidos companheiros. Ao contrário. O Rei dos Vampiros derrotou-os, desposou a Rainha Vitória, nomeou discípulos para funções burocráticas do Império e espalhou sua linhagem sombria por toda a Inglaterra. No coração da Londres vitoriana, um assassino está mutilando jovens vampiras e ameaçando a estabilidade do novo regime. Seu nome, Jack, o Estripador.

Sofisticado e original, Anno Dracula recria um universo extraordinário no qual transitam os mais diversos – e improváveis – personagens, todos reunidos sob a névoa que inebria a imaginação do leitor. Uma aventura sarcástica e sangrenta que eleva Kim Newman à condição de mestre da literatura de horror.

Retirado do site da editora


4 estrelas¹


Anno Dracula é um livro de vampiros old school, se é que você me entende. Tanto é que gira em torno de Dracula, o clássico personagem de Bram Stoker. Tem muita violência, do tipo nojenta e assustadora, questões políticas, questões morais e até questões religiosas. A base histórica do livro também não deixa a desejar, pois não excluí o que se passava no mundo naquele tempo, na realidade, fazendo referência a vários personagens históricos.


Após a derrota de Van Helsing, ser vampiro é a última moda. O vampirismo foi legalizado. E tudo virou um caos. Como toda mudança brusca na sociedade, há sempre um grupo que se opõe. Há racismo de todos os lados. Revoltas a todo momento. Alguns com sede de poder, outros com nojo do poder atual. E então, para abalar tudo isso, vem o Faca de Prata.


Você começa o livro achando que o Faca de Prata é o mistério do livro, o enredo... mas não é. Os assassinatos do Faca de Prata que dão início a uma investigação que vai perpassar todas aquelas falhas no sistema vigente, aparentemente invisíveis, ou melhor, que costumam ser ignoradas.


O livro é narrado em 3ª pessoa, e Newman consegue te passar o ponto de vista de cada personagem como se os próprios estivessem narrando seus pensamentos. Você vê todos os lados da história – ou quase todos –, o que te permite analisar racionalmente as atitudes de cada personagem. Eu adoro quando os autores nos dão a chance de entender o que se passa na mente do “vilão”.


Podemos dizer que os personagens principais são Geneviève Dieudonné e Charles Bureaugard, que são as peças principais na investigação do caso do Faca de Prata. Ela, vampira, ele, humano. Ela, uma anciã. Ele, um burocrata. Como eu disse, o livro aborda tantos aspectos que não dá para detalhar todos. Enquanto o Faca de Prata suscita guerras entre o povo, Geneviève e Charles provam que, não importa quão diferentes eles sejam, a convivência e o respeito mútuo é possível. E talvez provem um ao outro e... oi? Que? Como?


Anno Dracula é livro maduro. Você se pega esperando um final feliz, uma resolução, um romance, mas esse não é o objetivo do livro. E qual é o objetivo do livro então, você deve estar se perguntando. Haha, não conto! Você tem que ler. O livro peca um pouco no quesito mistério, pois explora pouco justamente os mistérios que nos deixam com as unhas carcomidas. Mas, em compensação, tem um final surpreendente! Revoltante, mas com certeza muito imprevisível.



Resenha por Isadora C.


¹ Acho o livro digno de 4 estrelas por ser bem escrito e criativo, mas não o considero viciante. Que isso fique claro.

Alma e Sangue

Posted by San Diegirls on January 22, 2010 at 9:30 PM Comments comments (0)



Título: Alma e Sangue- O Despertar do Vampiro

Autora: Nazareth Fonseca

Editora: Aleph

Número de Páginas: 384



Kara Ramos não pode acreditar que um dos grandes momentos em sua carreira tenha chegado. Depois de muita batalha, Kara consegue o ok do chefe para restaurar uma antiga mansão maranhense, um sonho antigo de seu pai. O que Kara não sabe é que um perigo misterioso se esconde entre os antigos móveis em seu novo trabalho.


Kara é uma brasileira como tantas outras. Nascida em São Luís, desde pequena teve paixão por coisas antigas, que demonstravam contar muitas histórias. Estudou e se tornou uma restauradora, trabalhando no que mais gostava. Era uma mulher casada e feliz, até a morte de seu marido, Lucas. Desde então, Kara se concentra em ter sucesso em sua carreira.


Até que, ao explorar a mansão em uma noite quente de São Luís, Kara abre as portas para o que parece ser um monstro violento. Depois de um momento de susto, Kara tenta retornar para casa, mas é então feita refém de um homem lindo, porém bruto.


O homem, Jan Kman, parece estar desorientado, mistura francês com português, e atira ordens tiranas a Kara, que, como uma boa mulher do século XXI, recusa-se a cooperar até que ele diga o que acontece ali. Kman responde-a com tapas, agrendido Kara fisicamente. Kara então se vê na difícil posição de prisioneira dentro de sua própria casa.


Passada a hostilidade inicial, Kara consegue conviver com seu sequestrador. Tudo bem que a hostilidade permanece, e Jan sempre reclama das mulheres do novo século, e de como em tempos anteriores as mulheres faziam o que os homens mandavam. Isso poderia soar estranho, não fosse pelo fato de que Jan é um vampiro, que está na cidade aparentemente em busca de vingança.


Após um beijo entre eles, começa a florescer uma paixão inebriante, que emana de Jan, lindo, alto, loiro, e atinge Kara, deixando-a prostrada, derrotada e apaixonada. Kara  se divide entre desejo e repulsa, entre o certo e o errado. E mesmo que Kara decida viver esse amor, ainda há o perigo que Jan e seu passado, com seus inimigos ainda vivos, oferecem não somente a Kara, mas a seus amigos também.


Escrito por Nazareth Fonseca, “Alma e Sangue - O Despertar do Vampiro” foi uma descoberta e tanto pra mim. Primeiro porque é difícil encontrar um livro brasileiro sobre vampiros, ou lobisomens, ou sobre o mundo fantástico em geral, que não soe brega e mal acabado. Segundo porque escrever um romance vampiresco ambientado na quente e ensolarada São Luís não deve ser fácil. Mas Nazareth conseguiu criar uma história à risca do clássico vampirismo: sensualidade, ação, um pouco de luxúria e é claro, o vampiro  lindo.


O livro pode confundir, entretanto.  O início é narrado em terceira pessoa, para logo depois a narrativa tornar-se em primeira, tendo Kara como narrador-personagem, e há muitos flashbacks e cortes não explicados. Se você gosta de esperar até o fim do livro para entender  os fatos, então esse é o livro! Eu pessoalmente prezo mais um livro que exige a atenção completa de um leitor, e a sequência de ação em certas circunstâncias, misturadas com o mistério da vida de Jan, os sentimentos e a  natureza da relação de Kara e Kman com certeza mantém presos até o leitor mais disperso. Mas cuidado. Não deixe o livro te sugar, ou, assim como acontece com sangue de vampiro, você ficará viciada.





 




Postado por Gabriela "Gani"


Categories