San Diegirls

O Blog Mágico de San Diego

Blog

Os 13 Porqu?s

Posted by San Diegirls on December 25, 2009 at 11:31 AM Comments comments (7)

 

Título: Os 13 porquês

Autor(a): Jay Asher

Editora: Ática

Número de páginas: 256

Conheça Hannah Baker. Uma garota bonita, inteligente, poderia ser popular e ter milhões de amigos, ou qualquer coisa que quisesse. Mas ela tem uma “reputação” que a persegue. Melhor dizendo, tinha. Hannah cometeu suicídio.


E deixou seus motivos gravados para a posteridade, na forma de sete fitas cassete. Treze lados gravados e numerados, explicando seus treze motivos a treze pessoas que, de alguma forma, tiveram algo a ver com sua decisão.


Agora conheçam Clay Jensen. Garoto simpático, popular, orador da turma. Nenhuma palavra ruim pode ser dita sobre ele. Mas ele é uma das treze pessoas nomeadas por Hannah em suas fitas. Qual pode ter sido seu papel nessa história? É o que Clay e o leitor se perguntam.


Com uma narrativa dinâmica, envolvente e, acima de tudo, emocionante, Jay Asher nos leva a conhecer Os 13 Porquês de Hannah, através de Clay. Enquanto ele escuta as fitas, começamos a entender como Hannah resolveu desistir – parar de lutar por uma vida melhor e mais agradável, e fugir. De todos. De si mesma. Por vezes o leitor tem que lembrar a si mesmo que o pior já aconteceu, e Hannah não pode mais ser resgatada.

Mesmo após tantos motivos e explicações, Clay, assim como nós, continua com uma pergunta ao final. Por que, Hannah?




À primeira vista, pode parecer uma idéia um pouco mórbida, ler sobre o suicídio de alguém. Pelo menos três pessoas para quem falei sobre o livro pareceram pensar isso. E nem todos estão prontos para lidar com morte, mesmo que fictícia. Os 13 porquês é um daqueles livros que lhe fazem pensar do começo ao fim. Os motivos de Hannah são o suficiente pra justificar uma decisão tão drástica e final? Pra ela, obviamente eram; mas e para sua família, Clay e todas as pessoas que irão sentir sua falta? Realmente não havia mais nada que se pudesse fazer?


A emoção no livro é tão sincera e real que em vários momentos tive que parar a leitura, pois estava começando a ficar sem fôlego. Literalmente esquecia de respirar enquanto lia algumas cenas do livro. A história prende de uma maneira tão forte, que ao final você sente como se realmente conhecesse Clay e Hannah, como se não fossem somente personagens fictícios (pra mim, sempre um indício de que o livro é bom).


Jay Asher menciona no livro os sinais que indicam que uma pessoa pode estar pensando em suicídio, e tenta incentivar um diálogo aberto quanto a isso – O que não acontece com freqüência, por se tratar de um assunto “tabu” na nossa sociedade. Pais, professores, amigos, não podem simplesmente ignorar quando há algo errado – devem tentar ajudar, no que for possível. Essa mensagem Jay tenta deixar clara, tanto no livro como em sua entrevista (publicada ao final da história).


Porém, no livro esses sinais são apenas mencionados, referidos, nunca explicados. Por isso, no sentimento de tentar divulgar e talvez ajudar alguém, alguns dos sinais segundo a Sociedade Portuguesa de Suicidologia:

  • Os principais sinais de alerta podem ser apreendidos através de sinais, tais como comentários acerca da morte ou suicídio. Ao contrário do que a maioria das pessoas julga, os suicidas expressam algo sobre as suas intenções.
  • Os preparativos para a morte são por vezes um dos sinais mais preocupantes, tais como a preparação de documentos, dar objetos pessoais de valor sentimental elevado ou escrevendo cartas ou notas aos amigos.
  • Alguns sinais exteriores podem evidenciar risco, tais como a sensação de desesperança, ansiedade intensa, autodesprezo, apatia ou entorpecimento, assim como tristeza intensa, comportamento impulsivo e mudanças rápidas de humor.

Fonte/Mais Informações: http://www.spsuicidologia.pt/


 Resenha por Ana Carla

 


 


Categories